sábado, 13 de janeiro de 2018

Edifício Martinelli - Museu panorâmico














A cobertura do primeiro arranha-céu de São Paulo,  o Edifício Martinelli, será transformado em museu, com restaurantes e bares.
o 25º e o 26º andar abrigarão um espaço para receber estudantes e uma área de leitura, entre outras coisas. A idéia é reproduzir o conceito de prédios como o Rockfeller Center e o Empire State  Building, ambos em Nova York, nos Estados Unidos.


 - A planta do prédio original previa doze andares, mas, até 1934, foram erguidos trinta pavimentos.

- Os últimos cinco andares abrigavam o lar do italiano Giuseppe Martinelli, idealizador da obra.

- O edifício entrou em decadência nos anos 60 e chegou a ser palco de alguns crimes rumorosos.

- Sob a administração do prefeito Olavo Setúbal, o local foi reformado e reinaugurado em 1979.



Igreja Santo Antonio - preciosidade barroca






 Preciosidade Barroca

Localizada na Praça do Patriarca, próximo ao Viaduto do Chá, na região central, a Igreja de Santo Antônio é uma das mais antigas da cidade, fundada em data incerta no fim do século XVI. P






No século XVII, abrigou a Ordem dos Franciscanos, e no século XVIII esteve subordinada à Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Brancos.Sofreu diversas reformas e intervenções ao longo dos últimos quatro séculos, sobretudo em sua fachada, reinaugurada em  estilo eclético em 1919. 
O interior da Igreja de Santo Antônio conserva importantes testemunhos da arte produzida em São Paulo no período colonial.  Durante a restauração  levada a cabo em 2005, descobriu-se no forro do altar-mor pinturas murais  seiscentistas de alta qualidade técnica e artística, as mais antigas de que se tem notícia em São Paulo. Também o altar principal, executado em 1780, é um belo exemplar da talha barroca.  A igreja é tombada pelo poder público estadual (Condephaat )  desde 1970, em virtude de sua importância histórica, artística e arquitetônica. 

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Arte Vila Madalena




O tradicional reduto boêmio da Zona Oeste é também um forte centro cultural. Em poucos quarteirões funcionam quinze galerias de arte, incluindo algumas das mais conceituadas da cidade, como a Fortes D'Aloia & Gabriel,, que representa artistas contemporâneos renomados do porte de Adriana Varejão e da dupla osgemeos.
Outros exemplos são a DOC Galeria, especializada em fotografias, e o centro cultural b-arco, que oferece cursos.


Arte - Vila Madalena


O tradicional reduto boêmio da Zona Oeste é também, um forte centro cultural.
Mas o cartão de visitas da área é o Beco do Batman, o principal museu a céu aberto da capital. Os muros do trecho de 170 metros da Rua Gonçalo Afonso começaram a ser pintados nos anos 80 e reúne cerca de cinquenta obras.
Um grupo de grafiteiros renova constantemente  esses trabalhos.
A poucos metros dali está o Armazém da Cidade, centro que oferece intensa programação cultural e gastronômica aos domingos.





segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

A reforma do Viaduto Santa Ifigenia






Viaduto Santa Efigênia é um viaduto localizado no centro de São Paulo,  com uso exclusivamente para pedestres. Ele começa no Largo São Bento próximo a estação de metrô e termina em frente a Igreja  de Santa Ifigênia,  interligando dois pontos históricos importantíssimos para o município de São Paulo.
A estrutura pensada pelo arquiteto Giulio Micheli e desenvolvida pelos engenheiros Giuseppe Chiapori e Mário Tibiriçá, foi totalmente fabricada na Bélgica  e tinha o intuito de melhorar o trânsito e a circulação de carros, carruagens e bondes durante o período do século XIX, que atravessavam o Vale do Anhangabaú.  O viaduto foi montado entre os anos  1910 e 1913 e inaugurado em 26 de julho de 1913, pelo prefeito Raymundo Duprata.
Atualmente, o viaduto é uma das principais ligações dos pontos mais altos do centro de São Paulo,  passando sobre o Vale do Anhangabaú e Avenida Prestes Maia e assim ligando o centro velho ao centro novo da cidade de São Paulo. O Viaduto Santa Ifigênia, de estilo  Art  Nouveau,  é um dos principais cartões postais da cidade de São Paulo.
Entre o Viaduto Santa Ifigênia e a Rua Duque de Caxias, há diversas lojas e pequenas galerias que vendem os mais diversos tipos de produtos eletrônicos, como computadores, vídeo games, celulares, equipamentos de sons e luzes e instrumentos musicais. 



A reforma do Viaduto


A Prefeitura de São Paulo entregou dia 21 de dezembro de 2017  a revitalização do Viaduto Santa Ifigênia.
 Os trabalhos tiveram início no mês de maio de 2017 e incluíram limpeza, pintura, novos canteiros e recuperação da iluminação. A última reforma tinha sido realizada há quase 18 anos.

 As grades retorcida nas linhas da arquitetura nouveau, receberam duas aplicações de esmalte sintético amarelo, 



“Depois de 112 dias de serviço, estamos entregando o Viaduto Santa Ifigênia com a recuperação de pintura, da estrutura e também com câmeras. O piso é histórico e, para ser preservado,  vai sofrer pequenas intervenções. Toda essa área do Anhangabaú está sendo recuperada passo a passo, mantendo o centro da cidade", disse o prefeito João Doria.
  




A empresa Inova doou a reforma do viaduto e da escadaria, que teve 56 degraus e seis patamares reformados, além da troca do piso de borracha. Foram utilizadas duas toneladas de chapa de aço nas intervenções. O prefeito João Doria ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.
O processo de recuperação foi dividido em três etapas. Na primeira, foi feita a lavagem de toda a estrutura para remoção de pó, gordura e fuligem incrustada. O nivelamento da superfície, com massa plástica à base de poliéster, foi feito na segunda etapa. Na terceira fase, foi executada a pintura, por meio de duas aplicações de tinta esmalte sintético acetinado ou fosco.
Na escadaria do viaduto, que dá acesso à Praça Pedro Lessa, as obras foram necessárias devido à corrosão encontrada nos degraus, guarda-corpos e demais estruturas da escadaria, que poderiam colocar em risco a integridade física dos pedestres.

Praça Cidade de Milão








Praça Cidade de Milão.

 O nome para quem não conhece o local impressiona, afinal, dar o nome de uma das mais elegantes cidades da Europa a uma praça em São Paulo não deve ser por acaso. No entanto uma rápida visita ao local,  localizado em Moema bem atrás do Parque do Ibirapuera.

O espaço tem como elemento  central uma fonte ladeada por réplicas entre Milão e São Pulo, tendo como elemento central uma fonte ladeada por réplicas de quatro estátuas de Michelangelo, essas últimas produzidas pelo Liceu de Artes e ofícios.

As reproduções retratam as alegorias que representam a Noite, o Dia, o Crepúsculo e a Aurora.
Feitas de argamassa e gesso, têm o dobro do tamanho das peças originais, que se encontram na Capela dos Médici em Florença, na Itália.







Há quase 50 anos atrás, em março de 1962, através de um acordo entre as prefeituras de São Paulo e Milão, ambas as cidades declararam-se  por decreto como “gêmeas”. E, através deste decreto em comum, as duas cidades iniciaram uma série de ações com o objetivo de estreitarem ainda mais seus laços. O primeiro gesto, ainda no primeiro semestre, partiu da “irmã” italiana com a inauguração do Largo Brasilia, uma bela e arborizada praça em um bairro requintado da cidade.

O gesto paulistano de retribuição viria poucos meses depois em outubro do mesmo ano, quando na ocasião da visita do prefeito milanês, Gino Cassini, à cidade foi inaugurada uma praça como o nome Praça Cidade de Milão. O ato foi muito noticiado à época pelos grandes jornais paulistanos e a visita de Cassini bastante festejada pela grande comunidade italiana de São Paulo.




quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Fundação Cultural Ema Gordon Klbin







Fundação Cultural Ema Gordon Klabin é um  museu brasileiro,  localizado na cidade de São Paulo,  no bairro  Jardim Europa. Criada em 1978, é uma instituição particular sem fins lucrativos, declarada de utilidade pública federal, que tem por objetivo conservar e divulgar o acervo artístico, histórico e científico reunido ao longo de mais de 70 anos pela empresária, mecenas e colecionadora Ema Gordon Klabin,  além de promover atividades culturais e educativas. Está aberta para visitação pública desde 2007.
A coleção possui mais de 1500 peças, oriundas de quatro continentes e diversas civilizações, com grande ênfase na arte  euripéia e brasileira,  importantes núcleos de arte asiática,  arte africana e artes decorativas e obras da Antiguidade Clássica e do período-pré-colombiano,  cobrindo um arco temporal de mais de 3500 anos.








domingo, 3 de dezembro de 2017

Parques em São Paulo

Visitar Parques e outros espaços de contato com a natureza em São Paulo é uma opção de lazer que traz benefícios `saúde e sensibiliza para as questões ambientais.

1- Parque do Ibirapuera



Parque Ibirapuera é o mais importante  parque urbano  da cidade de São Paulo, no Brasil. Foi inaugurado em 21 de agosto de 1954  para a comemoração do quarto centenário da cidade. No município, é superado em tamanho apenas pelo  Parque  do Carmo e pelo Parque Anhanguera. Foi eleito, em 2015, um dos "melhores parques do planeta" pelo renomado jornal britânico The Guardian, e um dos parques famosos como o Buttes-Chaumont de  Paris,  o Boboli de  Florença, a High Line de Nova Iorque,  o Hampstead Heath de Londres e o Parque Guell de Barcelona.












2 - Viveiro Manequinho Lopes
Parque do Ibirapuera

Criado na década de 1920, e restaurado em 1993 pelo paisagista Roberto Burle Marx, esse viveiro municipal histórico fica dentro do Parque do Ibirapuera. Lá é possível observar a produção de mudas destinadas ao plantio em áreas públicas da cidade. Também dá para contemplar um acervo de 200 espécies em estufas, estufins ( canteiros suspensos), telados (estrutura cobertas com telas de sobreamento e quadras.
Portão 7A Parque Ibirapuera






3- Parque do Carmo

Localizado na Zona Leste da cidade, esse parque reconhecido nacionalmente pela Festa das Cerejeiras - celebração à florada das cerejeiras - de Okinawa no mês de agosto - tem outros atrativos, como lagos, o Museu do Meio Ambiente, o Viveiro Arthur Etzel e o Bosque da Leitura. A vegetação do local é composta de eucaliptos, brejos, cafezal, pomar, entre outros.
Av. Afonso de Sampaio e Souza, 941







4 - Parque da Independência ( ou Parque do Ipiranga)

Marco histórico nacional, foi nessa região que Dom Pedro I declarou o país independente de Portugal, em 1822.
Localizado na zona Sudeste da cidade, esse parque criado em 1989 abrange mais de 161 metros quadrados de jardins e bosques. Destaque para o jardim francês à frente do Museu Paulista, seus canteiros de rosas e arranjos de palmeira.

Av. Nazareth, sn.







5 - Jardim Botânico

Criado em 1938, o Jardim Botânico está dentro do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga. Espaço de conservação de grande diversidade de espécies de árvores nativas e de outros países, nele o visitante percorrerá bosques, alamedas e trilhas. Destaque para as escadarias históricas, o Jardim dos Sentidos, a trilha da Nascente e o Lago das Ninfetas - flores aquáticas que são símbolos do Jardim Botânico.

Av, Miguel Stefano, 3031 - Água Funda














6 - Parque Burle Marx

Criado em 1950 e restaurado em 1991 pelo paisagista Roberto Burle Marx, o parque tem uma área superior a 108 mil metros quadrados, composta por trilhas, bosques, lagos e outros atrativos, como a observação de pássaros pelos visitantes. Destaque para o Jardim Burle Marx, criado pelo paisagista, onde foi registrada a presença de mais de 50 espécies de plantas herbáceas  e arbóreas.
No paqrque também há uma horta comunitária aberta para visitação, contato e voluntários.

Av Dona Helena de Moraes, 200












7 - Parque Trianon  Masp

No coração da Avenida Paulista, este parque destaca-se pela fauna, flora e esculturas - Fauno, de Victor Brecheret, e Aretusa, de Francisco Leopoldo e Silva - ao alcance dos visitantes. Sua vegetação é composta de remanescentes da mata Atlântica. Nela sobressaem cedros, jequitibás e outras árvores, além de espécies exóticas como palmeira-de-leque-da-china.
Na fauna, prevalecem duas espécies de borboletas, sete de morcegos e 28 aves.
Sentar em algum banco para relaxar e observar a natureza é uma boa pedida.

Av. Paulista ( em frente ao Masp)













8 - Parque Ecológico do Guarapiranga

Este parque de 250 hectares localizado na zona sul  de São  Paulo, nas proximidades da Represa do Guarapiranga, é lar para cerca de 50 espécies de aves, mamíferos e répteis. Entre alguns passeios que podem ser feitos pelos visitantes está a Trilhas da Vida. Detalhe : ela só pode ser feita de olhos vendados. A ideia é promover um contato sensorial com a natureza e estender que o meio ambiente também pode ser sentido pelo olfato.

Estrada da Riviera, 3286








9 - Sesc Interlagos

O Sesc Interlagos oferece diferente passeios que convidam o público 
para esse contato consciente com a natureza. Na trilha Billings, grupos de visitantes percorrem um trajeto de mata  ciliar, nascentes e lagos. Por ele, temos contato com a mata atlântica recuperada, que margeia a Represa Billings. Esse passeio ainda inclui uma visita à instalação Água Viva, que apresenta o tempo de degradação de alguns resíduos descartados na água. Já no Viveiro de Plantas, são mais de cinco mil mudas em exposição. Nele também é possível visitar : estufa de plantas, ervanário, horta orgânica, orquidário, terrário, jardim sensorial e pomar. Lá são oferecidos cursos e palestras para acrianças, jovens e adultos.

Av. Manuel Alves Soares, 1100